fidelizar clientes
5 ações de pós-venda que o despachante pode usar para fidelizar clientes
29/10/2018
planejamento financeiro
3 dicas essenciais para o planejamento financeiro de pequenas empresas
12/11/2018

Aprenda como otimizar o capital de giro no seu despachante

como otimizar o capital de giro

Um grande percentual de empresas fecha suas portas todos os anos. Entre as principais razões está a falta de organização e planejamento financeiro.

Nessa realidade, saber como otimizar o capital de giro é uma tarefa crucial para espantar esses fantasmas. Afinal, é o bom resultado destes números que vai permitir o funcionamento sustentável da empresa.

Contudo, muitos empresários desconhecem a importância desse elemento, tanto para evitar riscos como para aproveitar melhor as oportunidades.

Neste artigo vamos explicar melhor como o capital de giro interfere na sua operação e dar dicas sobre o que fazer para melhorá-lo no seu despachante.

O que é capital de giro?

De uma forma bem resumida podemos dizer que o capital de giro é o dinheiro que você precisa para manter o seu escritório funcionando.

Ele é a diferença entre o montante que você tem disponível (em caixa, no banco, em aplicações financeiras e nas contas a receber) e o que você deve a curto prazo.

Ou seja, é uma reserva financeira necessária feita para ser usada em momentos de necessidade.

Portanto, saber como otimizar o capital de giro é um ponto crítico no sentido de manter as reservas em equilíbrio.

Como otimizar o capital de giro e obter melhores resultados?

Gerenciar corretamente o dinheiro necessário para sustentar uma empresa é crucial para a sobrevivência de qualquer negócio. Especialmente porque, existem períodos em que se vende mais e outros em que as vendas caem.

Nessa realidade, há diversas medidas que podem ser tomadas para otimizar a composição do capital necessário para que a empresa se sustente.

Para te ajudar, separamos algumas dicas sobre como otimizar o capital de giro no seu despachante. Confira!

Tenha segurança na previsão das receitas

Quando uma empresa assume dívidas acreditando nas suas previsões financeiras, se o dinheiro não entra na conta, ela pode ficar sem capital de giro rapidamente.

Por isso, é importante que nenhuma atitude seja tomada com um dinheiro que você ainda não tem.

Para evitar problemas, considere como receitas garantidas apenas os valores em que a nota fiscal já foi emitida. Assim como, condições de pagamento que já foram estabelecidas e aceitas.

De preferência, tenha em mãos instrumentos eficazes de cobrança que deem maior segurança dos valores a receber, como é o caso das maquinetas de cartão, que permitem a venda no débito e no crédito.

Evite o desencaixe entre pagamentos e recebimentos

Taxas veiculares em geral são pagas à vista. O que faz com que o despachante tenha que colocar dinheiro na frente para honrar estes compromissos.

Para evitar problemas o ideal é acertar esse prazo de pagamento para que ele coincida com o prazo de recebimento dos clientes.

Soluções financeiras, como a PagueVeloz, ajudam a equacionar esse prazo, evitando desencaixes entre pagamentos e recebimentos.

Isso porque ela adianta o valor e efetua o pagamento do débito veicular, com baixa em até 30 minutos. Tudo online e com muita velocidade!

Amplie o capital de giro com a antecipação das vendas

Se o seu despachante tem contas a receber dos clientes nos próximos meses, uma alternativa para conseguir otimizar o capital de giro é fazer a antecipação de recebíveis.

Neste caso, você pode conversar com a sua instituição financeira, buscando receber dela os recursos que receberia dos seus clientes no futuro.

Cuide apenas para que a medida não se torne constante para evitar problemas financeiros. Afinal, é uma porcentagem do seu lucro que está sendo usada para antecipar o recebimento deste capital.

Esperamos que depois dessa leitura você tenha entendido como otimizar o capital de giro no seu despachante. Aplique, então, esse conhecimento no seu negócio para torná-lo ainda mais lucrativo!