integração de sistemas
Você já faz integração de sistemas em sua empresa?
13/01/2020
o que é proatividade
O que é proatividade e como desenvolvê-la em sua empresa
10/02/2020

Como ser o melhor no que você faz

como ser o melhor

Ser expert em qualquer coisa que você queira vai exigir muito esforço. A boa notícia é que você terá bastante tempo para se dedicar: aproximadamente 10 mil horas!

Não vamos ensinar a você exatamente como ser o melhor no que você faz. Mas as dicas a seguir servirão, no mínimo, para você ser melhor no que faz. Entendeu a diferença?

Entre ser “o melhor” e ser “melhor”, a diferença é a comparação com os outros. Então, logo de cara, nossa primeira dica é: esqueça eles! Se você tem um propósito, foque em seus objetivos e se aprimore, estudando e praticando.

Você deve conhecer o famoso comediante Jerry Seinfield (se não conhece, procure algum vídeo de suas performances). Certa vez ele revelou que, antes da fama, se obrigava a escrever uma piada por dia, religiosamente, sempre registrando a tarefa cumprida em um calendário.

Ele dizia que tinha isso como um método quase sagrado, não importando se estivesse motivado ou se a piada fosse ruim. Provavelmente você age de forma parecida em sua empresa, suas corridas, treinos de academia ou em algum hobby. Mas sabe qual é a diferença? Ele não desistiu.

A prática fará com que você fique melhor a cada dia. Nós nos sentimos bem quando percebemos evolução, não necessariamente quando nos tornamos “o melhor”. Parece autoajuda barata? Engano seu. A ciência tem muito a dizer sobre como ser o melhor no que você faz (corrigindo: como ser “melhor”). E este artigo vai contar o que já se descobriu. Bora lá?

Um sujeito que aprendeu como ser o melhor memorizador

Nos anos 70 o Nobel de economia Herbert Simon e o professor de psicologia William Chase constataram que campeões de xadrez haviam passado entre 10 mil e 50 mil horas de sua vida estudando posições de peças no tabuleiro antes de se tornarem mestres.

Na mesma década, dois professores da Universidade do Colorado, Anders Ericsson e Bill Chase, provaram com alguns experimentos que é possível desenvolver habilidades tidas como dons em pessoas comuns.

Eles treinaram um voluntário para memorizar números ditados em intervalos de um segundo. Faça o teste agora: quantos algarismos você é capaz de memorizar? A maioria das pessoas não consegue passar de sete. Era o caso do voluntário do experimento.

Depois de 60 sessões de treino, no entanto, ele conseguiu memorizar 20 algarismos. Depois de 100 sessões, já era capaz de decorar 40 algarismos!  Pensa que parou por aí? Com 200 sessões, ele era capaz de se lembrar de mais de 80 algarismos!

Como ser o melhor em qualquer coisa praticando 10 mil horas

Alguns anos (ou milhares de horas) depois, o mesmo Anders Ericsson viria a ficar muito famoso, causando alvoroço em todo o mundo acadêmico.

Dessa vez ele acompanhou estudantes de violino durante toda a sua trajetória, computando e analisando tudo o que observava. No final do estudo, ele constatou que, em média, os alunos medianos praticaram cerca de 4 mil horas, ao passo que os extraordinários praticaram uma média de 10 mil horas distribuídas ao longo dos anos de estudos.

A conclusão que Ericsson tirou na época foi de que o que achamos ser talento, na verdade é resultado de muita prática. Aproximadamente três horas por dia durante 10 anos.

Anos mais tarde, em 2008 o escritor Malcolm Gladwell popularizou essa conclusão no livro Outliers, best-seller internacional. Como o título indica, ele descreve pessoas “fora de série”, contando como elas se destacaram em suas áreas.

Não que a noção esteja completamente errada. Mas ela é uma forma simplista de descrever um estudo complexo. E isso não é difícil de constatar. Algumas pessoas atingem proficiência com menos e outras com mais tempo de dedicação.

Chega de blá blá blá. Comece a praticar!

Bom, já temos duas pistas sobre como ser o melhor naquilo que queremos. Se você tiver talento, pode demorar menos. Se não tiver, levará um pouco mais de tempo. Mas será que é só isso?

Não. A ideia também envolve treinar com qualidade. A sabedoria e a criatividade também são aspectos importante na prática de qualquer atividade, seja sua profissão ou seu hobby.

Caso contrário você pode praticar 30 mil horas sem nunca melhorar. Não sabemos o quanto a genética e quanto a perseverança pesam nos resultados. Além disso, as coisas se misturam: a pessoa também pode ser geneticamente predisposta a treinar mais!

Enquanto não temos as respostas para estas e outras questões, vamos focar naquilo que já sabemos. Então, anote algumas dicas de como ser o melhor naquilo que você se propôs a fazer:

  • adquira as habilidades de forma correta no início para não praticar com base em vícios;
  • pratique de acordo com formatos que comprovadamente trouxeram resultados para outras pessoas;
  • tenta fazer coisas novas com o máximo de foco, saindo de sua zona de conforto;
  • tenha um plano escalável, com várias metas menores ao longo do caminho antes do objetivo final;
  • só são válidas as horas em que você dedicar atenção e esforço total;
  • socialize seu aprendizado, compartilhando informações, participando de grupos e ensinando outras pessoas;
  • colha feedbacks e ajuste sua prática de acordo com as informações obtidas.

Independentemente da polêmica e da discussão em torno da “teoria das 10 mil horas”, há um fato inegável em tudo isso:

O sucesso é um lugar acessível a qualquer um que estiver disposto a trilhar o caminho até chegar nele.

Curtiu as dicas? Quer compartilhar algum aprendizado? Os comentários estão abertos!

 

Conta de Pagamento: como emitir cobranças e receber pagamentos sem ter conta em banco