mulheres empreendedoras
Mulheres empreendedoras – das finanças ao Nobel
09/03/2020
Benchmarking
Benchmarking: O que aprender com seus concorrentes
06/04/2020

Coronavírus: medidas que uma empresa pode tomar

Coronavírus

Os noticiários em todo o mundo só falam em uma coisa: a pandemia de coronavírus (Covid-19). Governos têm tomado medidas para reduzir os impactos. E muitas empresas vêm tentando se adaptar ao novo cenário. Confira o que pode ser feito

De todas as partes, as notícias não falam em outra coisa: a pandemia de coronavírus (Covid-19) que assola muitas nações e, agora, preocupa o Brasil.

O Ministério da Saúde, bem como Secretarias de Saúde em todos os Estados, tomaram uma série de medidas para que, por aqui, os impactos sejam os menores possíveis.

Na mesma linha, empresas de todos os setores vêm tentando implementar ações de modo a estarem mais preparadas para enfrentar eventuais turbulências.

Pensando em todo esse cenário, a PagueVeloz elaborou uma lista de medidas que, em muitos casos, podem ser tomadas por sua empresa e colaboradores.

Revezamento da equipe

Algumas empresas optaram por fazer revezamento de suas equipes para evitar maiores aglomerações de pessoas. 

É uma medida prudente e que, dependendo de como for manejada, terá impactos menores na produção.

Colaboradores que desempenham atividades mais administrativas podem ficar parte in loco, parte em home office

Que tal sugerir um planejamento emergencial de atividades que possam ser realizadas em casa? O financeiro de uma oficina mecânica, por exemplo, não precisa ser feito na empresa. 

Identificar em seu negócio as atividades que podem ser feitas de casa é importante para reduzir os efeitos da pandemia. 

Em alguns estados, inclusive, já há decretos para que alguns setores operem na capacidade mínima necessária. E é bem possível que isso seja uma tendência nas próximas semanas.

Redução da carga horária

Outra ação que vem sendo adotada é a redução da carga horária

Semelhante ao revezamento, a ideia nesta modalidade é manter uma menor interação entre as pessoas.

Shoppings e fábricas pausam suas atividades cumprindo as determinações legais, ao mesmo tempo, em que para outras funções em que existe essa possibilidade, orientam o home office.

Atenção às medidas do Governo

Desde que o governo solicitou ao Congresso Nacional a aprovação do Estado de Calamidade Pública, medidas emergenciais deverão ser anunciadas.

Neste cenário, a União poderá a elevar gastos públicos sem ter de observar a meta fiscal, o que pode significar mais dinheiro injetado na economia para minimizar danos.

O Governo Federal também anunciou uma série de medidas com objetivo de flexibilizar as relações funcionário-empresa

Uma delas prevê que o salário possa ser reduzido proporcionalmente à jornada de trabalho. A ideia é permitir um “respiro” a mais a muitos pequenos negócios que, eventualmente, possam ter uma diminuição em suas demandas. 

Carona como opção ao transporte público

Muitos estão evitando transportes públicos. Em algumas localidades, inclusive, eles já estão parados. Quanto menos aglomeração de pessoas, melhor!

Nesses casos, organizar caronas solidárias é bem mais seguro. Lembre-se: deixe as janelas do carro sempre abertas para que o ar circule o máximo possível. 

Ambientes internos da empresa

Fortaleça os cronogramas de limpeza da empresa. Se for possível, conte com especialistas no assunto.

Internamente, converse com os funcionários para que eles adotem comportamentos compatíveis com o momento atual, por exemplo:

  • Troque os apertos de mãos pelos acenos;
  • Nada de beijinho no rosto ou abraços;
  • Mantenha álcool em gel ao alcance de todos;
  • Incentive a higienização das mãos com frequência;
  • Jamais compartilhe talheres, copos e demais utensílios.

Dicas para quem vai ficar em home office

Àqueles que já estão – ou vão ficar – trabalhando em home office, os desafios não são pequenos.

Primeiro porque essa modalidade de trabalho será novidade para muita gente

Segundo porque nem toda casa está “preparada” para isso.

Mas pra tudo tem um jeito!

Uma dica é estabelecer uma rotina bem definida de ações: hora de acordar, iniciar os trabalhos, pausa para almoço (com o mesmo intervalo que fazia na empresa).

Se for possível, fique em um cômodo mais isolado, onde você possa deixar as ideias fluírem e onde a dispersão da atenção for menor. 

Pense que você está indo trabalhar… a diferença é que fará isso em casa.

No quesito prevenção, não é porque está trabalhando de casa que o risco de contágio zerou. Tudo vai depender de outros hábitos: no mercado, na farmácia, etc.

Compre do pequeno

Um movimento que tem ganhado força é o #CompreDoPequeno.

Ele faz muito sentido, pois, em tempos de crise, pequenos negócios do nosso bairro tende a ser os mais afetados – já que possuem pouco capital.

Ao invés de pedir delivery de uma grande rede de fast food, que tal optar por aquele que tem um lanche tão gostoso quanto, mas que fica na sua rua?

Açougues pequenos e mercearias também ficarão vulneráveis. Se tiver que comprar uma carne, frutas ou verduras, que tal optar por eles?

Prefira pagar no cartão

Quando for pagar, evite pegar em dinheiro: use cartão

No ápice da crise do coronavírus, a China chegou a incinerar dinheiro, e obrigou bancos a lavarem cédulas – pois, representam grande perigo!

Evite contato com o operador de caixa/máquina de cartão (apertos de mão, etc.). 

Para o balconista, uma dica valiosa: faça limpeza constante no balcão de atendimento e das máquinas de cartão que estiverem em uso.

App Coronavírus

O Ministério da Saúde lançou, nas plataformas Android e IOS (iPhone), um aplicativo com informações bem completas sobre o coronavírus.

A ideia é combater a rede de notícias falsas que, infelizmente, são comuns mesmo em situações como essa.

O app tem funcionalidades diversas, que inclui dicas de prevenção, descrição de sintomas, formas de transmissão, e até um mapa de unidades de saúde próximas de sua casa.

Se puder, faça o download e compartilhe essa informação com seus amigos e familiares!