plataforma de pagamento
Como a plataforma de pagamento impacta no fluxo de caixa do negócio
25/05/2020
transformação digital
Como a pandemia acelerou a transformação digital nos negócios?
29/06/2020

Sistema de pagamentos instantâneos: você sabe o que é PIX?

pagamentos instantâneos

PagueVeloz saiu à frente e concluiu os testes do PIX relacionados à conectividade e liquidação, entrando, com isso, para a lista de empresas que adiantaram processos de ajustes necessários à ferramenta, garantindo aos clientes acesso à solução

Previsto para entrar em vigor em novembro deste ano, 2020, o PIX é uma solução para pagamentos instantâneos criada pelo Banco Central do Brasil (BC). Na prática, o dinheiro sairá de uma conta diretamente para a outra, sem intermediários, em até 10 segundos.

Ele vai garantir aos brasileiros a realização de transferências e pagamentos instantâneos entre diferentes instituições bancárias em tempo real, em qualquer dia e horário, incluindo finais de semana.

Mas o que é o PIX

Em resumo, o PIX é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central com o intuito de facilitar a realização de transferências financeiras entre contas de bancos diferentes – hoje possível apenas via TED, DOC ou depósito. Também permitirá o pagamento de boletos e, inclusive, o recolhimento de impostos, tributos, taxas de serviços, etc. 

Seu grande diferencial será a rapidez e a disponibilidade. Ou seja, hoje, temos restrições de dias e horários para fazer TED, DOC e depósito, ou mesmo para pagar contas. Sendo assim, com o PIX tudo isso poderá ser feito a qualquer tempo, já que a plataforma ficará disponível ininterruptamente. Aquele boleto que vencia hoje, você não pagou, mas ainda são 23h45, poderá ser pago sem prejuízo, pois o dinheiro cairá na hora para a empresa.

Basicamente, o PIX funcionará como é hoje quando fazemos transferências entre um mesmo banco: sai na mesma hora da sua conta para a conta do favorecido, em tempo real.

De acordo com o BC, essas transações poderão ser realizadas em 4 modalidades:

  • Entre pessoas físicas;
  • Para pessoas e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos; 
  • Para entes governamentais (taxas / impostos / etc.)

Contudo, só poderá utilizar o PIX quem tem uma conta em banco, fintech – que é o caso da PagueVeloz – ou instituição de pagamento. Ah, e não precisa ser conta corrente. Essa regra vale tanto para o recebedor, quanto para o pagador.

As transações poderão ser realizadas desde o modo tradicional, como já ocorre, usando informações como CPF, CNPJ, mas também haverá a possibilidade de envolver novas tecnologias, incluindo a leitura QR Codes.

Diferenciais do PIX

Há diversos diferenciais que tornam o PIX muito atrativo. Um deles é que, como não mais haverá a necessidade de intermediários nas transações, os custos de movimentação financeira serão menores. Hoje, por exemplo, uma TED pode custar entre R$ 8,00 e R$ 16,00, sem contar que ela só pode ser feita em determinados dias/horários, e com um limite na quantia da transação. Neste aspecto, o PIX será uma verdadeira revolução.

Chave de endereçamento (ou apelido): cada conta terá um “apelido”, que será uma das formas de identificar o seu endereço bancário. Por meio dessas chaves, o Banco Central reconhecerá sua conta e aprovará as transações bancárias. Essa chave poderá ser seu número de telefone celular, o CPF, o CNPJ ou mesmo um endereço de e-mail.

Formas de pagamento: além das chaves de endereçamento para a identificação da conta, as transações também poderão ser validadas por meio de QR Code (estático ou dinâmico). Além disso, outras tecnologias permitam a troca de informações por aproximação. Entre elas temos, a tecnologia near-field communication (NFC), ou comunicação por campo de proximidade, para pagamentos instantâneos.

Mais segurança para o consumidor: O PIX também substitui, com tranquilidade, a necessidade de dinheiro vivo em transações simples, como na realização de compras no comércio local. Isso significa que as pessoas não vão mais precisar carregar dinheiro! Pois, transferir qualquer quantia para a conta do comerciante será muito mais fácil. Ou seja, você só precisará de informações básicas para efetuar um pagamento – como os exemplos acima. 

PagueVeloz realiza adesão ao PIX

A PagueVeloz saiu à frente e já concluiu todos os testes do PIX relacionados à conectividade e liquidação, entrando, com isso, para a lista de empresas que adiantaram processos de ajustes necessários à ferramenta, garantindo aos clientes acesso à solução.

Se adiantando aos prazos de adequação ao projeto, a PagueVeloz, que desenvolve soluções de gestão financeira para nichos de negócios, confirmou que já está realizando a adesão ao PIX. A empresa não entra na lista de instituições financeiras que serão obrigadas a se ajustarem ao sistema. Mas, optou por ser uma das primeiras a garantir a adesão.

“Acreditamos que essa evolução do sistema financeiro é um grande passo para a desburocratização da gestão financeira no país e entendemos que estar entre as pioneiras nos ajudará no fortalecimento de mercado e na entrega de serviços ainda mais ágeis e facilitados aos nossos clientes”, destaca o CEO da PagueVeloz, Paulo Gomes.

A primeira fase de adesão ao PIX foi até 1º de junho. Desde o início de maio, a PagueVeloz já consta da lista de aderentes ao sistema do Banco Central. Por se tratar de uma fintech com menos de 500 mil contas ativas, a empresa entra no sistema por iniciativa própria. Porque apenas instituições com este número de clientes, ou mais, são obrigadas a aderirem ao sistema de pagamento instantâneo.

Proximidade com iniciativas do Banco Central

A presença da PagueVeloz em projetos de inovação do mercado financeiro segue também em outras frentes. A fintech é uma das quatro empresas brasileiras selecionadas para o Lift Learning, programa da Fenasbac (Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central), em parceria com o Banco Central, que une bancos, instituições de pagamento, fintechs e instituições de ensino superior para o desenvolvimento de soluções inovadoras que beneficiem o Sistema Financeiro Nacional

Além disso, a PagueVeloz participa de discussões junto ao Banco Central que abordam a regulação da atuação das fintechs de crédito no país.

Facilitando a vida dos pequenos negócios

Com mais de 60 mil contas ativas e atuação em nichos de negócios como o automotivo e de serviços, a PagueVeloz oferece uma conta digital completa. Ela permite aos pequenos negócios realizar cobranças parceladas em cartão de crédito, emitir boletos, simular vendas, realizar pagamentos e transferências. 

Em 2019, transacionou mais de R$ 6 bilhões em sua plataforma.

PagueVeloz, sempre com você

Sendo uma fintech criada para facilitar a vida das pessoas, a PagueVeloz oferece soluções financeiras para impulsionar negócios, Brasil afora. E tem a solução ideal para alavancar o seu negócio, sobretudo no atual período, onde criatividade e desempenho precisarão caminhar lado a lado. Acesse o nosso site (www.pagueveloz.com.br) e surpreenda-se!

 

Conta de Pagamento: como emitir cobranças e receber pagamentos sem ter conta em banco